O EVENTO

Em 2020, o Município da Lourinhã, a Junta de Freguesia do Vimeiro e a Associação para a Memória da Batalha do Vimeiro reúnem-se para simbolicamente assinalar a “Recriação Histórica & Mercado Oitocentista”, evento que este ano está nomeado no âmbito do concurso 7 Maravilhas da Cultura Popular Portuguesa, cuja votação pode ser feita através do 760 207 832 (custo da chamada 0,60€ + iva).

Ao longo dos dias 17, 18 e 19 de julho de 2020, através das redes sociais Facebook e Instagram BatalhadoVimeiro1808, vão ser postados um conjunto de vídeos com momentos da vida militar, sketches de animação, vídeos para o público infanto-juvenil, momentos musicais, entre outras surpresas.   

HISTÓRIA
BATALHA DO VIMEIRO

A Batalha do Vimeiro foi travada no dia 21 de agosto de 1808 entre o Exército Francês, comandado por Junot, e o Exército Anglo-Luso, sob o comando de Sir Arthur Wellesley, futuro Duque de Wellington. Após os combates na Roliça no dia 17 de agosto, Sir Arthur marcha para a zona do Vimeiro a fim de fazer o desembarque de reforços na Praia de Porto Novo.

 

As tropas anglo-lusas mantiveram uma posição defensiva no Vimeiro, aproveitando a geografia do terreno. Os franceses, reunidos em Torres Vedras, decidiram tomar a ofensiva, chegando à Carrasqueira na manhã de 21 de agosto. A partir desse ponto, Junot deu ordem de marcha para a batalha. Sem conhecimento da situação do flanco esquerdo, duas brigadas francesas confrontaram os britânicos nos altos da Ventosa. Uma vez mais, os franceses viram-se forçados a recuar.

A Batalha do Vimeiro foi uma vitória inegável do Exército Anglo-Luso sobre as forças da França Imperial, pondo termo à Primeira Invasão Francesa. Junot perdeu cerca de 2000 homens, entre mortos, feridos e prisioneiros e o exército anglo-luso cerca de 700.

Esta batalha foi decisiva visto que colocou termo à Primeira Invasão Francesa de Portugal.

ORGANIZAÇÃO

PARCEIROS

PATROCÍNIOS